HISTÓRIA DO MOINHO DOM QUIXOTE

Untitled_Artwork (8).png

Descoberto em Outubro de 1983 como ruína o Moinho passou por seis anos de construção e só foi aberto no verão de 89, no Cabo da Roca, o ponto mais ocidental da Europa. O Moinho começava a girar novamente com o sopro dos ventos que moviam um sonhador. Um viajante com alma de artista que queria paz... O Moinho Dom Quixote é hoje um lugar único, em cada detalhe expressa muito da essência do que um dia era um sonho, um vislumbre antes visto como loucura, assim como D. Quixote, personagem de Cervantes, que nas suas peregrinações pelo mundo, com seu eterno Sancho Pança, decidiu que sim, iria cometer a “loucura” e o Moinho voltaria a encantar com toda a sua beleza e poesia junto a natureza.

 

Aos poucos aquele pedaço de terra começava a ficar cada vez mais verde, arborizado e mais e mais pessoas podiam desfrutar dos fins de tarde inspiradores e de tirar o fôlego que só aqui existem. Ambientes encantadores para conversas românticas e suspiros aos ouvidos... Uma ementa criativa com sabores de diferentes origens, com produtos locais e sempre frescos.

 

O Moinho Dom Quixote nasceu da resiliência de um sonhador pela busca de proporcionar momentos únicos aos seus visitantes… Um espaço tranquilo onde o vento sopra e traz a certeza de dias calmos em meio a natureza, onde a viola portuguesa visita ritmos do mundo com amor e sabores a compartilhar a cada nascer do sol.

GALERIA: